Perfil do Acadêmico

Cadeira 11

José Ribamar Ewerton Neto

Naturalidade:

Guimarães - MA

Data de Nascimento:

4 de abril de 1953

  • Antecedido por:

    Recepcionado por:

    Jomar Moraes

  • Data de Eleição

    30 de outubro de 2008

    Data de Posse

    24 de abril de 2009

Biografia

Nasceu em Guimarães, MA, em 4 de abril de 1953, sendo o segundo filho de Juvenil Amorim Ewerton (desembargador) e de Teresa de Jesus Martins Ewerton.

Iniciou os estudos no Colégio Municipal Urbano Santos, de Guimarães, onde permaneceu até 1959 quando se transferiu para o Colégio Henriques Leal, em São Luis. Após prestar exame de admissão ao ginásio, matriculou-se no Colégio Maristas, em 1963, onde estudou até ser aprovado no vestibular de Engenharia Civil da Universidade Estadual do Maranhão, UEMA, em 1971.

              Dois anos após iniciar os estudos de Engenharia Civil transferiu-se para Volta Redonda, Estado do Rio de Janeiro, onde diplomou-se em Engenharia Metalúrgica pela Universidade Federal Fluminense, em julho de 1976.

Experiência Profissional

              Trabalhou de setembro de 1976 até novembro de 1977 como engenheiro de Alto Forno, na Cia Siderúrgica Nacional de Volta Redonda, RJ.

Transferiu-se para a Cia Siderúrgica Belgo-Mineira, João Monlevade, MG, onde, no período de dezembro de 1977 a fevereiro de 1979 trabalhou como engenheiro assistente do Chefe de Divisão de Refratários.

Em outubro de 1979 foi contratado pela Usina Siderúrgica da Bahia, Salvador, BA.  Lá permaneceu como Chefe de Divisão de Forno Elétrico até 1988.

Em junho de 1988 retornou a São Luis, quando iniciou sua atividade profissional no Consórcio de Alumínio do Maranhão, ALUMAR, onde permaneceu até 2006, quando se aposentou e abandonou suas atividades ocupando então o cargo de Consultor de Engenharia de Processo e Qualidade.

Após aposentar-se concluiu, em 2006, o Curso de Pós-Graduação em Letras e Literatura, da Faculdade Atenas Maranhense, FAMA.

Em 2007 concluiu o curso de Pós-Graduação em Jornalismo Cultural, da Universidade Federal do Maranhão, UFMA.

        Desde que se transferiu para São Luis exerceu atividade jornalística regular, inicialmente no jornal O Imparcial e, depois no jornal o Estado do Maranhão, escrevendo crônicas, como colaborador. A partir de 2008 assumiu o espaço Hoje é dia de… no Caderno Alternativo, jornal O Estado do Maranhão, aos sábados, em substituição  ao consagrado cronista, poeta, e também acadêmico  José Chagas.

Bibliografia

Iniciou-se nas letras com a publicação de um poema na antologia Esperando a missa do galo do escritor e acadêmico José Nascimento Moraes, edições Sioge, em 1978.

Em 1979 publicou seu primeiro livro, Estátua da noite, de poesias, editado pelo Sioge.

Em 1985 teve o conto Um dia na Copa do Mundo de 1954, premiado em segundo lugar no concurso nacional de minicontos, da revista Manchete, de circulação nacional, sobre copas do mundo de futebol.

Em 1993 seu romance O prazer de matar foi premiado e editado pelo SIOGE. Em 1999 o romance foi reeditado pela editora Revan, Rio de Janeiro, com o título de O ofício de matar, ocasião em que  foi resenhado por importantes veículos de divulgação literária nacional , como o Caderno Prosa e Verso, do jornal O Globo, Rio; Caderno Ideias do Jornal do Brasil; revista Bravo etc.

Em 1994 sua novela A ânsia do prazer foi premiada na categoria novela do Concurso Literário e Artístico Cidade de São Luis e editada pela entidade promotora do concurso, FUNC (Fundação Cultural da Prefeitura de São Luis).

Em 1995 seu livro Cidade aritmética, de poesias, obteve o prêmio Sousândrade do Concurso Literário e Artístico Cidade de São Luis e foi publicado pela FUNC.

Em 1996, sua novela infanto-juvenil O menino que via o além foi premiada e editada pela FUNC. Em 2001 foi reeditada pela Editora  Escrituras de São Paulo, ocasião em que foi considerada altamente recomendável para leitura pela seleção anual da Fundação Nacional do Livro Infanto- Juvenil.

Em 1998 teve publicado o livro de contos A morte dos Mamonas Assassinas e outros contos, premiado no concurso da Secretaria de Cultura do Estado do Maranhão, SECMA.

Em julho de 2000 foi vencedor do prêmio literário Marianela Vasconcelos, pelo conjunto de poesias, promovido pelo Concelho Municipal de Sever do Vouga, Portugal.

Em 2004 seu conto Volte ao meu romance, recebeu menção honrosa no concurso nacional Paulo Leminski, da Universidade de Toledo, no Paraná e foi incluído na antologia nacional dos melhores contos do concurso.

Em 2007 classificou-se em segundo lugar no concurso da Secretaria de Cultura do Estado do Maranhão, SECMA, na categoria romance, com o livro O infinito em minhas mãos, editado em 2009.

Em 2007 classificou-se em primeiro lugar na categoria contos do Concurso Literário e Artístico Cidade de São Luis com o livro Ei, você conhece Alexander Guaracy?, publicado em  dezembro de 2009.

Em Novembro de 2008, uma terceira edição de 10000 exemplares do livro O menino que via o além foi adquirida pela Secretaria de Cultura de Belo Horizonte para compor o acervo das bibliotecas do Ensino Público, após licitação para a qual concorreram grandes nomes da atual literatura infanto-juvenil e clássicos tradicionais.

Em janeiro de 2010 o conto de sua autoria Também as ondas recebeu menção honrosa e foi selecionado pelo 19º concurso de contos Luis Vilela, Ituiutaba, MG, para fazer parte de uma antologia nacional com os dez melhores contos do concurso publicada em 2011.

                  Em 2011 seu conto Pequeno dicionário de paixões cruzadas recebeu menção honrosa na edição 22º do Concurso Paulo Leminski e foi selecionado para uma antologia dos melhores contos do concurso que será publicada em 2013.

Discurso de Posse

Discurso de Recepção

Redes Sociais